Tudo que você precisa saber sobre Legislação de Trânsito e Direção Defensiva 

Tudo que você precisa saber sobre Legislação de Trânsito e Direção Defensiva 

O carro está na alma do brasileiro, não tem como negar. Essa é uma das várias paixões desse povo que leva tudo ao limite. Quer uma prova? Diga em que outro lugar do mundo o Fusca é tão adorado até hoje? Só aqui um carro é tratado como gente, recebe carinho ganha nome e apelido próprio.

Essa paixão pelos carros vem, muitas vezes, ainda na infância. Mas, junto com esse fascínio, vem também alguns problemas. Muitas pessoas crescem dirigindo e pegam alguns “vícios”, se achando até, muitas vezes, que são superiores aos outros motoristas com quem divide a estrada. E é aí que mora o perigo, esse individualismo e egoísmo fazem as pessoas dirigirem cada mais de forma agressiva. É justamente por isso que o tema deste artigo hoje é a direção defensiva..

O que é legislação de trânsito?

O Código Brasileiro de Trânsito, o CBT, é a legislação de trânsito. Criado em 23 de setembro de 1997, a lei nº 9.503 reúne todas as normas de conduta que um motorista deve cumprir ao pegar no volante. E das infrações e penalidades para quem descumprir as regras. O código é composto por 20 capítulos, totalizando 341 artigos.

Esse documento é o que rege as relações de todos os órgãos ligados ao trânsito. É como se fosse a Constituição de quem trafega pelas vias do país. .

Qual a definição de direção defensiva?

Para quem não conhece, direção defensiva é um conjunto de ações e procedimentos adotados pelo motorista com o intuito de evitar ou minimizar as consequências de um acidente de trânsito. A direção defensiva é utilizada, principalmente, em atitudes incorretas dos outros, sejam condutores ou pedestres, em diversas situações nas ruas, avenidas e estradas do país.

Tudo que você precisa saber sobre Legislação de Trânsito e Direção Defensiva 

A direção defensiva parte do princípio do que os acidentes ocorrem devido a alguma falha humana, seja por negligência, imprudência ou imperícia.  Essas palavras são bem comuns no meio médico, relacionado aos erros. Vale a pena ressaltar a diferença entre elas. Negligência é uma falta de cuidado proposital. Uso do celular ao volante representa muito bem isso. Imprudência está relacionada a tomar uma ação sem pensar, uma falta de responsabilidade. Um bom exemplo é passar em um sinal vermelho. Normalmente, o condutor não analisa a ação, é um ato tomado no impulso. Por fim, a imperícia é a situação onde não há conhecimento ou habilidade da ação. No trânsito, um motorista que arrisca uma ultrapassagem perigosa com pouca experiência ou conhecimento da situação, está sendo imperito. Dessa forma, qualquer ação que o motorista que está sendo ultrapassado tome para “facilitar” a situação é considerada uma ação da direção defensiva. Ou seja, a direção defensiva parte do princípio do motorista ser um elemento ativo que altere ou elimine os fatores que possam gerar um acidente.

Além disso, a direção defensiva é dividida em dois tipos: a preventiva e a corretiva. Os nomes já esclarecem bem o que cada uma é. A direção preventiva é quando o motorista toma atitudes constante para evitar acidentes. E a direção corretiva é quando há necessidade do condutor tomar uma ação em uma situação de risco, para evitar o pior.

Os pilares da direção defensiva

A direção defensiva se divide em 5 grupos: conhecimento, atenção, previsão, habilidade e decisão.

 Conhecimento

O conhecimento é o primeiro passo para tudo. Sem conhecimento, não tem como saber o que deve ser feito e como ser feito. É importante conhecer bem a legislação e a prática. A prática não envolve saber só sobre as diversas condições que podem aparecer durante a condução. É preciso conhecer o carro e os equipamentos também.

Algumas condições adversas são: iluminação, tempo, vias, trânsito, veículo, cargas, condutor e passageiros.

.

 Atenção

No trânsito é importante lembrar que você não está sozinho. Por isso a atenção é um dos pilares da direção defensiva. É preciso estar atento e alerta quando está com as mãos no volante, para conseguir agir em uma situação de emergência. Muitas das vezes o motorista se distrai, conversando com o carona ou ouvindo uma música mais alta. E com isso, você pode acabar se envolvendo em um acidente, que poderia ter sido evitado caso tivesse mais atento. Redobre a atenção principalmente em cruzamentos, locais escuros que costumam ter travessia de pedestres. Não faça uso de celular ao volante. Além de ser proibido, essa ação retira completamente a atenção do motorista.

.

 Previsão

A previsão é uma mistura dos dois grupos anteriores. A previsão é quando o condutor antecipa ou prevê uma situação de perigo. E com isso, tenha capacidade de agir sem ser pego de surpresa. 

.

 Habilidade

Esse é um ponto importantíssimo. E só com prática e experiência é possível conquistar. A habilidade envolve fazer alguma manobra fora do comum, mas necessária para evitar um problema. Como desviar de animais na pista, ou ter que jogar o carro rapidamente para o acostamento, sem perder o controle do veículo. Para isso, além da experiência, é preciso conhecer bem o seu veículo.

.

 Decisão ou Ação

Esse pilar envolve a capacidade do condutor em tomar uma atitude em qualquer tipo de ocorrência. É estar preparado para fazer alguma manobra perigosa, mas necessária. É preciso sempre ter bom senso ao pegar no volante.

Vale lembrar da importância de o motorista reconhecer os seus limites e do seu veículo. Com isso, é possível evitar acidentes e não colocar vidas em perigo. Por isso, desde 2004, é necessário passar pelo curso de direção defensiva, para renovar a habilitação ou para obtê-la. 

.

Importância da direção defensiva 

É importante ter conhecimento de direção defensiva, para cuidar da sua segurança e dos demais. Infelizmente, no trânsito vão ter diversas interferências, ainda mais no Brasil Seja um buraco na via, um pedestre atravessando em um local indevido, até um motorista que dirige alcoolizado. Colocando em prática as ações da direção defensiva, dirigindo com atenção, cuidado, e pensando sempre no próximo também, é possível evitar acidentes e mortes nas estradas.

.

Direção defensiva e CNH 

Para conquistar a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH), é preciso cumprir alguns quesitos que estão descritos no Código Brasileiro de Trânsito (CBT). Esses quesitos são: avaliação psicológica, exame de aptidão física e mental, curso teórico-técnico, exame teórico-técnico, curso de prática de direção veicular e exame de prática de direção veicular.

Os cursos, prático e teórico, são feitos em alguma autoescola credenciada pelo Detran. Das 45 horas/aula necessárias no curto teórico, 16 horas são dedicadas a direção defensiva e 18 horas a legislação de trânsito.

Tudo que você precisa saber sobre Legislação de Trânsito e Direção Defensiva 

A prova é aplicada pelo Detran, contém 30 questões e é necessário acertar pelo menos 21 para ser aprovado. Cerca de 75% do conteúdo das aulas são sobre legislação e direção defensiva. Então, é importante estar bem alinhado com esse conteúdo para não correr o risco de não ser aprovado no exame…

Direção defensiva na prova de CNH

A autoescola é onde as pessoas dão os primeiros passos como motoristas. É lá onde a maioria têm o primeiro contato com um veículo e são formadas como condutores. Todo o processo de aprendizado nessas autoescolas tem como base a direção defensiva. E nas provas, tanto prática, quando teórica, não é diferente.

Como visto no tópico acima, na prova teórica, grande parte das perguntas é sobre direção defensiva. São perguntas simples, como “o que fazer se você estiver numa rodovia e logo a frente um carro está vindo na contramão fazendo uma ultrapassagem perigosa?”. A resposta é óbvia, o motorista em questão deve reduzir a velocidade para que o carro a frente consiga completar a ultrapassagem sem nenhum perigo.

Tudo que você precisa saber sobre Legislação de Trânsito e Direção Defensiva 

Já na prova prática, os examinadores avaliam a capacidade do aluno em reagir a determinados tipos de situações. Isso é muito mais comum nas provas de categoria profissional, de caminhão, carreta ou ônibus. Isso porque esses serão verdadeiros motoristas profissionais e o cuidado que eles devem ter com os outros ocupantes da via deve ser ainda maior. Um exemplo de avaliação de direção defensiva nas provas práticas é quando o aluno está passando em algum trevo durante a prova e logo a frente tem um carro para entrar na via. O examinador irá observar se o aluno irá passar pelo trevo com mais atenção e com o pé em cima do freio ou se irá simplesmente continuar dirigindo da mesma forma e acelerar o veículo. É considerado direção defensiva o ato de passar com o pé em cima do freio, pois caso o outro veículo avance o trevo de forma equivocada, o motorista que estiver atendo e já preparado para o pior, terá um tempo de reação mais rápido, o que poderá evitar o acidente.

Conclusão

É evidente a importância da direção defensiva para a formação de um motorista. A legislação de trânsito é baseada na ideia de pensar sempre no próximo, como uma forma de cuidar dos outros motoristas e pedestres. Muitas práticas, como falar ao celular enquanto dirige, vão exatamente contra o conceito de direção defensiva e são passiveis de punição. Multas, apreensão do veículo e até a suspensão do direito de dirigir são alguns dos exemplos do que um motorista infrator pode enfrentar.

Mas, caso você tenha cometido algum erro e foi punido por isso, saiba que nem tudo está perdido. É muito comum os processos terem falhas que acabam dando brecha para recursos, o que pode te fazer economizar um dinheiro alto. E para isso, você pode contar com o Multas BR para preparar os melhores argumentos na sua defesa. Tudo muito rápido, simples e com um preço acessível.

RECORRA AGORA!

.

.

Você foi multado?

Descubra GRATUITAMENTE quais são suas chances reais de recorrer e vencer.
Trabalhamos com inteligência artificial e curadoria jurídica especializada para ajudar com recursos de multas.

Slider